sexta-feira, 27 de novembro de 2009

Palhaço de molho e marcianos em vias de extinção

Desde ontem, o meu "palhacito" está em casa com febre e dores de garganta.

Como fiquei com ele e terminadas as fichas da escola, lembrei-me de fazermos o TPCI*, que devia estar pronto até ao fim do mês.
O exercício (que terei também que fazer com o S. e com a T.) consiste em fazer um animal ou planta em vias de extinção, com recurso a aproveitamento de materiais.
Há algumas semanas disse-me que queria fazer um lince ibérico.
Ontem lembrou-se do azevinho (o que, diga-se de passagem, me agradou, pois seria de muito mais fácil execução ;).
Arregaçámos a mangas e demos início ao projecto. Já tinhamos cortado grandes folhas em cartão e feito bolinhas vermelhas em papel crepe, quando ele se lembra:
- Oh mãe, sabes o que eu gostava MESMO de fazer?
- Não.
- Marcianos. Mãe, os marcianos estão em vias de extinção?

* Trabalho Para Casa Interactivo, isto é, para fazer com pais, avós, irmãos...

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

tenho um palhaço em casa...

Ontem disse-me que foi outra vez para a sala dos 5 anos porque chamou "cabeça de penico" a um amigo :p Garantiu-me que não houva mais nada para além desse incidente.

Hoje cheguei à escola e a Professora do P. pediu para falar comigo.
Pelos vistos ontem foi um "festival". Desde imitações do Tarzan em plena sala de aula, a "cabeças de penico" a torto e a direito, houve de tudo um pouco :p

Eu sei que me zanguei com ele logo de manhã, e que talvez isso tenha influenciado o seu comportamento durante o dia.
Mas por outro lado acho que, 3 meses volvidos desde o início do ano lectivo, já era altura dele perceber que macacadas têm sítio próprio para se fazer...

No outro dia disse-lhe que se ele se mantivesse assim, que o tirava daquela escola e o iría inscrever numa escola de circo. Ele ficou um pouco assustado e durante uns tempos andou na linha...

Ai este rapaz...

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

T., fortune teller...

Na noite de sábado sonhei que estava grávida. De uma menina que iria chamar-se Sofia e que iria nascer em Agosto...
Durante todo o santo sonho andei, corri, subi e desci escadas, com uma barriga gigantesca. Pelos vistos andava à procura do médico, do hospital ou de outra coisa qualquer que não vem ao caso...
Acordei cansada de tanta "correria" e com os pensamentos a bailar, confusos, nos poucos neurónios que estavam despertos aquela hora, levantei-me da cama.

Ainda a bocejar, cruzei-me com a T. no corredor.
Vinha com o seu lenço machucado debaixo da camisola.
- Olha, mamã, tenho um bebé na barriga igual ao teu!

:^O

sexta-feira, 20 de novembro de 2009

up date

P.. Hoje. Novo teste. Desta vez de Língua Portuguesa.
Como fui levar o S. à escola ao fim da manhã (novo regresso... a ver se é desta!) tive a oportunidade de encontrar a professora do P. que me disse que ambos os testes lhe tinham corrido muito bem :) - essa á a parte boa.
A parte menos boa é que, no teste de quarta-feira, como o acabou cedo, achou que faria uma grande coisa se fizesse palhaçadas e partilhasse as respostas com os colegas que ainda estavam a fazê-lo... - foi de castigo para a sala dos 5 anos :p

O S. ficou bem, ainda murchito, mas senti que estava com vontade de regressar.
Quando saí, ele estava entretido a espalhar canela numa tarte de maçã que tinha um aspecto delicioso... ;)

A T. foi ao Aquário na nossa cidade hoje de manhã. É a terceira vez que lá vai. Mas como o tema deste ano da Unesco (e da Escola, claro está) é a Biodiversidade, toca a estudar mais um pouco "os bichinhos da água". Deve estar felicissima, claro está!

terça-feira, 17 de novembro de 2009

da malta

Amanhã o P. tem o primeiro teste. De Matemática. "É canja de galinha, mãe!" vamos ver, meu cabeça de vento, vamos ver...

Da T., novas palavras:
- gabifrow - babygrow (agora anda numa de vestir e despir os seus "filhos").
- degabarinho - devagarinho ;)

Do S., nova palavra:
- betorneira - betoneira.
(hoje foi para a escola, ao fim de 10 dias em casa. À hora do almoço telefonam-me para o ir buscar pois estava com febre :p)

domingo, 15 de novembro de 2009

sábado, 14 de novembro de 2009

A escola de Ontopaia precisa de todos nós!

A escola de Ontopaia fica na cidade de Nacala, no Norte de Moçambique, perto da célebre Ilha de Moçambique.
Nacala é uma cidade pobre, com duas ou três rua alcatroadas, descendo para o porto de mar que a separa da grande e profunda baía de Nacala. Ao lado fica o porto dos pescadores. Peixe não falta em Nacala.
Podemos dizer que Ontupaia é um novo bairro que cresce na cidade. Servido por um estradão esburacado, lá vamos aos saltos entre casas macuas de porta e duas pequenas janelas, na quase maioria cobertas por colmo. O chão é de areia castanho-avermelhada. E àquela hora matutina (a escola começa pelas seis e quarenta e cinco) cruzamos com crianças de uniforme verde escuro e amarelo que se dirigem para a escola. Se contarmos as do turno da manhã e as do turno da tarde, são mais de mil e quatrocentas que frequentam a escola, desde a 1ª classe até à sétima classe inclusive. Mas há também os pequeninos que frequentam a “escolinha” da parte da manhã.. São na sua maioria crianças lindas, de olhos negros pestanudos, sorriso aberto. Quando nos encontram na rua acenam um “tá-tá”com mão, alguns atrevem-se a um beijo.
A escola é pobre de recursos como é pobre todo o bairro (a maioria das casas não tem luz eléctrica). Muitas carteiras estão estragadas e nalgumas salas não chegam para todos os alunos que têm de se sentar no chão. E embora o governo distribua um livro por disciplina e por aluno (em teoria, porque de facto não chegam para todos) e também um caderno e um lápis, nesta altura do ano já faltam cadernos e lápis. Se pensarmos em material informático, hoje uma ferramenta indispensável nas nossas escolas, na escola de Ontupaia este recurso existe, obsoleto, para uso dos professores e o papel e tinta para a impressora está condicionado pela falta de dinheiro.


Ora espreitem aqui para ficar a conhecer um pouco mais o projecto: http://saltodeleao.blogspot.com/

A entrega de material pode ser feita na seguinte morada: Rua Estêvão Gomes, 25 11-B 4150 - Porto 2ª a 6ª entre as 8h00 e as 14h00

Quando finalmente passar o periodo de "quarentena", vamos lá deixar um caixote com livros e jogos :)

quinta-feira, 12 de novembro de 2009

Férias forçadas...

Nem sei por onde começar...

No sábado, o S., que já estava com tosse desde a semana anterior, começou a ficar um pouco murcho, com uma ponta de febre...
Como no domingo era (e foi!) o seu dia de anos e, naturalmente, dia da sua festa, estive até à última a ligar a todos os pais a adiar a dita festa para quando ele se sentisse melhor.

No domingo, liga-me a mãe do seu melhor amigo, a dizer que este também estava doente, com os mesmos sintomas do S..

Na segunda feira fico com ele em casa, pois a febre subiu e teimava em não descer. Na terça feira, conseguimos que o febrão descesse um pouco. Assim, fui ao escritório de fugida entregar um trabalho, e lá estava eu num sprint louco para poder voltar para casa, quando me ligam do colégio a dizer que o amiguito do S. estava com gripe A.
A caminho de casa ligo para o pediatra dos miúdos, que me aconselha a levá-lo ao hospital s. joão, para lhe administrarem tamiflu, e, aconslhando-nos, inclusivé, a tomar todos tamiflu como medida profiláctica (T. incluida...).
Entretanto, meio atarantada no meio da rua, e graças a um telefonema de uma querida prima/irmã, resolvi levá-lo a um hospital privado ao pé de casa, para onde tinha ido o amiguito do S. no dia anterior.
Logo que chegámos puseram-lhe uma máscara (haviam de ter visto os outros pais a fugir de nós!) e, quando entramos no consultório, face ao quadro: febre + vómitos + tosse + diarreia (muita!) a médica não hesitou em escrever no seu livrinho ".... Gripe A".

Lá voltamos para casa, com a recomendação de ficarmos todos em quarentena até ao próximo domingo.

Já passaram dois dias e:
- O P. e a T. para além de tosse, não têm mais sintoma nenhum;
- Eu, para além de uma dor de cabeça descomunal (falta de sono + stress?) não tenho mais sintoma nenhum;
- O p-de-pai, para além de um ar de zombie, não tem mais sintoma nenhum :P

Eu, que me recuso a ver telejornais e fujo a sete pés de toda a "desinformação" que nos persegue no dia-a-dia, começo a pensar - e é aqui que peço a vossa opinião:
- Se, estando nós os quatro em contacto permanente com o virus, não desenvolvemos a gripe, é suposto estarmos imunes?
- Os miúdos podem voltar à escola na segunda feira?

Entretanto, estamos todos a trepar pelas paredes... O P. a fazer as fichas da escola sem vontade nehuma, o S. e a T. a discutirem todo o santo dia, eu e o p-de-pai a disputarmos o computador para que o trabalho não atrase muito nesta semana...

Haja paciência...

sexta-feira, 6 de novembro de 2009

...

Ontem tive um dia-não.
parecia que tudo corria ao contrário...
um dia de trabalho simplesmente frustrante, no regresso uma viagem de metro-lata de sardinha, chuva e frio... e como cereja em cima do bolo, vi um miudo (da idade do P.) e entalar a mão numa escada rolante (o menino a gritar, a mão numa papa de sangue, a sua mãe em pânico...)...
Ai...

Mas cheguei a casa, encontrei a Avó D. a fazer desenhos com os meninos (tão felizes que estavam!), fiz um jantarinho bom, jantamos com calma e (quase) sem sobressaltos e fiquei melhor :)

Mas esta noite, os pesadelos com a situação do miudo magoado foram constantes, e estou aqui ainda meio abananada...

terça-feira, 3 de novembro de 2009