quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Bang! Bang!

Sou daquelas pessoas "peace & love" para quem qualquer tipo de arma é inaceitável.
Também sou mãe de três rapazes... e de uma rapariga que consegue ser yang q.b....
Sempre achei que estava fora de questão oferecer-lhes pistolas para brincar. Mesmo nas bisnagas para brincar no carnaval ou nos dias quentes de Verão, procuro sempre que tenham outros formatos menos... bélicos.
Pois sim, desde muito pequenos os apanho a construir pistolas de lego e, perante o meu olhar reprovador, eles prontificam-se a dourar a pílula:
"Mãe, isto não é uma pistola. É uma máquina de fazer bolas de sabão e arcos-íris de cores!..."
Depois, como seria de esperar, viram-se para trás e desatam aos "bang! bang! Já te apanhei!"
Agora receberam umas pistolas de brincar (nerf?) que largam uma espécie de balas e eu não sei o que pensar disso. O pai diz que em miúdo se fartou de brincar aos policias e ladrões com pistolas de madeira que o avô lhe fazia e que não é por isso que deixou de ser uma pessoa com a cabeça no sítio.

Bem, acho que vou ali assobiar mais um bocadinho para o lado e já volto!...

Alvorada! Hoje é o Dia Nacional do Pijama!

Lá foram eles, antes das sete da manhã para a escola, de pantufas, almofada, peluche e mealheiro em punho :)
Hoje vão falar para a rádio e explicar porque é que existe Dia Nacional do Pijama e porque é que é importante o envolvimento de todos nesta questão tão sensível.

quinta-feira, 31 de outubro de 2013

Que nojo!

O meu filho mais novo aprendeu a dizer "Que nojo!" (di-lo com pronúncia à porto e tudo).
Só não percebeu o significado da expressão, o que dá origem a algumas situações, no mínimo, caricatas.

- Olha Pê, o que te comprei!
- C'a noijo! - com um sorriso de orelha a orelha.

- Pê, vamos comer o nestum!
- C'a noijo! - radiante, pega na colher e desata a comer como se não houvesse amanhã.

Claro que estás situações conseguem pôr os irmãos mais velhos ao rubro de tanto riso, o que acaba por baralhar ainda mais o pisco, mas enfim..,

:)


-

quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Coisas cá de casa...

Quando nos mudámos demos inicio à verdadeira epopéia que foram as obras na casa nova, tomámos duas (de milhares) decisões totalmente compatíveis (not!):
- retirar as banheiras,
- substituí-las, não por bases de chuveiro, mas por uma espécie de prolongamento do chão e paredes de pastilha, com uma espécie de resguardos de vidro (sim, podem dizer à vontade: "à arquitecto").
Só nós esquecemos do pequeno pormenor de como seria o banho do mais novo. Aqui, haveria duas hipóteses, nenhuma perfeita:
- dar banho ao rapaz e entrar junto com ele no chuveiro (só resulta se nós efectivamente quisermos tomar banho, o que não é mau pensado, pois vamos ficar muito molhados de qualquer forma),
- enchermos a banheira de bebé (onde ele, a custo, ainda cabe ) o que resultaria numa tarefa hercúlea de despejar vinte quilos de água pela sanita a baixo (já vos disse que não temos base de chuveiro?).
Andávamos nisto há três meses quando  um dos miúdos teve A ideia: levar o pisco com eles para o banho. E foi assim que consegui 'matar dois coelhos de uma vez': não só o pequenote fica (maijómenos) lavado, como os menos-pequenos deixaram de inventar desculpas para irem tomar banho (quem chega primeiro tem o prémio de dar banho ao bebé).
Agora resta saber até quando vai durar o entusiasmo. De mini e menos-minis...

E prontoS

Cenário: eu, na rua, o sol da hora do almoço a passar entre as folhas das árvores, amarelas e vermelhas... eu a admirar as cores e os reflexos dos raios de sol e...
Cabum!... Espalho-me ao comprido.
Passa um policia de mota e ajuda-me a levantar. Eu disse 'levantar', pois andar é outra história...
Agora estou com um pé feito num oito e a pensar como irei para casa e que ainda tenho que passar no supermercado a comprar o jantar.

Era só isto.

terça-feira, 29 de outubro de 2013

Ahhhh, ok... Estou esclarecida

Filha:
- No ano passado a minha educadora disse que ia ao WC. Eu perguntei a uma amiga se WC era uma loja. Mas depois percebi que era a casa de banho. Mas hoje pensei, pensei e descobri o que significa WC.
- Então o que é?
- Wómens e Cenhoras.

Das experiências gramaticais do mais novo (II)

Agora já consegue dizer o 'r' no meio das vogais.
Com a língua enrolada lá vai tentando: peRdo (assim trocado ;), maRta, maRia...
Quando consegue encaixar a língua no lugar certo, com medo de não saber voltar a colocá-la, fica um tempão a falar assim, enRoladinho...

Nessas alturas parece mesmo um bRasileiRo do noRdeste ou um ameRicano a tentar falar poRtuguês ;)

Das experiências gramaticais do mais novo (I)

- já acordi!
- já acabi!
- já fizi!

:)

Filho do meio

No domingo passámos um dia memorável. Manhã de preguiça em casa seguida de uma tarde a construir castelos.
Ao jantar, tentando pôr em prática o que aprendi aqui, perguntei-lhes qual foi a parte favorita dos seus dias.
O S. não hesita ao responder:
- Foi quando fui ao Lidl com a mãe!

(bip, bip, o meu radar detectou a necessidade urgente de marcar um Dia-de-filho-único... :)

domingo, 27 de outubro de 2013

Ha dias assim...

Dias em que crescermos mais um bocadinho...
Dias em que saímos da nossa pele e, pairando do lado de fora, percebemos novas formas de ver a realidade. 
Quando digo "novas formas" quero dizer "maneiras de fazer diferente, de dizer algo de forma positiva e, já agora, inteligente"... De fazer a diferença, pela positiva, na vida dos que me são mais queridos.
Obrigada! Mum's the Boss!

sexta-feira, 6 de setembro de 2013

Feliz ano novo!

Desde que tenho filhos na escola que tenho a sensação de que o meu ano começa em Setembro e termina em Julho (Agosto é uma espécie de "não lugar" :).
Este ano, com três a precisar de livros, mochilas e material escolar, a sensação foi mais intensa. Talvez porque o mais velho se estreia no quinto ano e a menina da casa vai aventurar-se no mundo dos números e das letras.
Nem mesmo a conta dos manuais (que chapada pá!) diminuiu o meu entusiasmo e eis-me a folhear (e cheirar!) os livros novinhos em folha. Sim, porque eles... os minis da casa... continuam e modo férias :D

Daqui a uns meses, no meio do transito, da chuva e frio, quando tiver que acordar ainda de noite, vou carregar no delete e apagar este post, com uma exclamação do género "ganha juízo, que já tens idade", mas para já vou curtindo esta sensação de euforia pateta ;)

Bom Ano Novo!

domingo, 25 de agosto de 2013

A casa dos degredos...

Uma casa, uma casa de banho, catorze pessoas e... uma gastrenterite vírica.
Foram vividos momentos peculiares em que, mesmo no pico da "coisa", a calma e o respeito pelas necessidades mutuas reinaram.
Prova superada!
Agora é aproveitar os restantes dias de férias e ignorar a sensação de ter sido atropelada por um camião TIR...

quinta-feira, 15 de agosto de 2013

(Quase) de férias...

Sou gaja para simplificar em muita coisa, mas quando se trata de preparar sacos para ir de férias, por mais que tente contrariá-lo, sou a mãe-caracol personificada.
Safa!...

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

Na vida, há sempre uma primeira vez para tudo...

... até para pintar as unhas dos pés de vermelho...

(estou aqui, estou a aguentar-me para não tirar o verniz, mas prontoS)

Say what?...

Há uns tempos, entre casais amigos, estávamos a falar sobre retomar a actividade desportiva. Sobre como dar a volta aos afazeres do dia-a-dia e conseguir ter um tempo para mexer o esqueleto. Estamos todos a aproximar-nos vertiginosamente da meia-idade (quarenta ainda não é meia-idade, pois não?) e saber que ainda estamos aí para as curvas acaba por ser importante ;)
Estava a dizer-lhes que consegui, no ano passado, frequentar aulas de ballet e que este ano estava a pensar incrementar o treino com aulas especificas de exercícios na barra.
Do nada, o meu filho-mais-velho-pré-adolescente-que-se-acha-quase-adulto vira-se para mim, de olhos esbugalhados de espanto:
- Mãe... Vais aprender a fazer strip tease?

Quando me recompus do choque dele saber o que era strip tease, lá lhe expliquei que barra era horizontal, e...  varão, era vertical. Pela cara dele de alivio percebi que tinha conseguido reverter um futuro trauma adolescente...

terça-feira, 13 de agosto de 2013

A crescer...

O mais velho teve direito a um telemóvel.
Básico, em segunda ou terceira mão, daqueles que pouco mais faz do que telefonar e mandar sms, mas para ele foi uma revolução.
Hoje recebi uma mensagem a dizer "Adoro te" (ainda não descobriu os hífenes) - e agora quem ficou rendida fui eu :)

Agosto..

Finalmente consegui concentrar-me a ler uma série de papelada que se acumulava nos últimos dias na secretária.


Não sei como, ou melhor sei... sou uma desastrada, despejei um copo cheio de água por cima de tudo :p




Vou ali tomar um café (gelado) enquanto as folhas secam...

Mãe de oito braços

Ser Mãe de quatro é (querer) ter braços e perícia de malabarista para lidar com tudo e todos e (tentar) não deixar cair nenhuma bola ao chão. É ter oitenta unhas para cortar ao fim de semana. É gerir o desfralde do mais novo ao mesmo tempo que as questões existenciais e metafísicas do mais velho. É explicar ao do meio que não podemos adoptar um lince bebé e à do meio que ainda que seja giro e tal não pode ir de biquini e galochas para a rua.
Ser mãe de quatro é passar de um ataque de histeria ao rubro da felicidade em  três segundos (ou ao contrário).
É uma montanha russa de emoções, daquelas que dão frio na barriga mas da qual não vou querer sair nunca...
(mais uma corrida... mais uma viagem...)

Estamos de volta, minha gente!