sexta-feira, 12 de junho de 2009

ode à minha pessoa

Ora bem, estas últimas (quase) três semanas foram recheadas com a minha nova (des)ventura no universo implacável dos dentes-e-coisas-assim. Ora vejamos:
- há três semanas, mais-coisa-menos-coisa: parto um dente;
- no dia seguinte dirijo-me às urgencias de um consultorio de dentista para reparar o dito. Sentença: impossível reparar o pré-molar, pois estava todo partidinho aos pedaços e a única solução seria colocar um implante (sim, o tal dos 1800 oiros :p). Ok, ponha-se lá o parafuso, pois então.
- nesse dia, com a cara transformada em bolo lá fui eu trabalhar, sem conseguir articular um pensamento na minha cabecinha já de si a modos que para o senil, quanto mais articular uma palavra... Passado duas horas de tortura, fui para casa enfiar a cabeça numa almofada e num saco de gelo :p
- no dia seguinte, sentia-me.. pior. No outro dia... pior ainda. And so on, and so on... Até que passados 15 dias e inúmeras vistas à cadeira mais adorada, chegou-se à conclusão qeu o implante estava infectado, tendo infectado o osso à sua volta. Bonito, não?
- na terça feira passada, toca a desatarrachar o parafuso. Três anestesias e muitas dores depois, lá estava o intruso expluso da minha cavidade bucal (já de si pouco famosa :p) "Agora vai sentir um grande alívio, se tiver alguma dor - o que não acredito - tome um ben-ur-on". Ok.
- quando desço do piso 2 para o 0 (sim, no mesmo edifício, dois minutos após a conversa do dentista) sou atropelada por uma dor terrível que me deu vontade de desatar à cabeçada a tudo o que era parede (só não o fiz por vegonha :p);
- cheguei a casa e lá descarreguei na almofada e no saco de gelo.... Os miúdos, coitados, não sabiam o que me fazer mais, se me liam histórias, se me cobriam de beijos, se me levavam mais gelo...
- nessa noite, com metade da boca ainda paralisada/dormente, liguei para o dentista, que me mandou reforçar a medicação, i. e., tomar a terceira (!) caixa de antibiótico, mais anti-inflamatórios, mais os analgésicos do costume (resumido, nunca andei tão "pastilhada" na vida);
- no dia seguinte, à noite, já em estado de desespero, voltei a ligar ao dentista, que concordou encontrar-se comigo nessa noite no seu consultório..
- resumindo: o dente do lado, coitadito que até nem estava mau, começou a ser "comido" pela infecção e teve que ser desvitalizado, e a sutura do buraco do implante teve que ser aberta e os tecidos rasgados para drenar toda a procaria que se havia acumulado... Lindo, não?
- hoje de manhã, lá fui eu de novo tirar mais um bocadinho de pús...

Digam lá se não havia maneira mais gira de passar este fim-de-semana prolongado?

:p

(nota de humor: o meu filho mais velho, andava cismoado como é que eu tinha pús na boca... como é que aquilo tinha passado do rabo para a boca... :s)

5 comentários:

disse...

Ai.... que saga!

Fitinha Azul disse...

ó valha-me Deus... e já começas a sentir-te melhor?

Beijocas grandes nossas e que passe depressa!

Costinhas disse...

que m de mer... :p

espero que já estejas muito melhor agora!

beijos

Rita Costa disse...

Estou aqui toda arrepiada com esta descrição... até porque ando há anos a ganhar coragem (e não só) para substituir 2 coroas por 2 implantes... e agora que estava pertinho de o fazer fiquei com um medo do caraças :)))))

Beijinhos e força para esta maratona

piu disse...

Ui isso foi dose. Estou a ler isto e a sentir o lugar vazio do dente que tb arranquei a semana passada.... tá mau.